A escola do furacão

“Mesmo quando eu andar por um vale de trevas e morte, não temerei perigo algum,
pois tu estás comigo; a tua vara e o teu cajado me protegem.” (Salmos 23:4)

Na última semana, os olhares de todo o mundo voltaram-se para a região do
Caribe e da Flórida por ocasião da passagem do Furacão Irma, que arrasou cidades,
matou dezenas de pessoas e provocou muito medo e apreensão.

Esse impressionante fenômeno da natureza, embora tão amedrontador, nos
possibilita aprender uma série de lições a partir do acontecimento como fato, mas
também como metáfora. Tanto a passagem literal do furacão Irma, quanto os “furacões”
da vida (aqueles acontecimentos inesperados que provocam uma série de “destruições”
no nosso cotidiano), podem nos ensinar de forma espetacular.

Na escola do furacão, aprendemos a quebrar o nosso orgulho e altivez. Ao olhar
para um acontecimento como o Irma ou ao passar por tribulações das mais diversas, nos
lembramos que somos pó. Lembramos que não temos o controle de todas as coisas e
que não temos super poderes. Não há melhor escola para aprendermos a humildade do
que enfrentarmos uma circunstância que está para além do nosso poder de resolução.

Na escola do furacão, aprendemos a aceitar a ambiguidade da vida. O Irma nos
mostrou que um dos lugares mais lindos do mundo (o Caribe) pode se tornar também o
lugar mais temido do mundo. Furacões nos ensinam que a vida é assim, ambígua, cheia
de contradições e que devemos encará-la sem esperar que ela seja perfeita o tempo todo.

Na escola do furacão, aprendemos o poder da solidariedade. O que mais nos
impressionou em todo o tempo de ação do Irma foi a grande corrente de solidariedade
que se formou para ajudar aquelas pessoas que seriam afetadas pelas tempestades. Na
nossa vida, também podemos constatar que, quando os furacões passam e nos tiram do
nosso lugar de conforto, sempre há possibilidade de descobrirmos que há mais mãos
estendidas a nosso favor do que poderíamos imaginar.

Na escola do furacão, aprendemos a resiliência. Só passando por furacões é que
aprendemos a tirar força da fraqueza e a desenvolver habilidades que nem nos
lembrávamos que tínhamos.

Por fim, na escola do furacão, aprendemos a confiar e a depender de Deus.
Durante o Irma, uma grande corrente de oração se formou. Nos furacões da vida, nossos
olhos se voltam de forma especial a quem realmente tem todo o poder. É quando o
vento sopra mais forte que nossos joelhos se tornam mais curvados, nosso coração mais
quebrantado e nossa alma mais sedenta. Aprendemos a depender de Deus e não de nós
mesmos.

Furacões nos ensinam demais! Furacões são escolas. Talvez você não esteve na
Flórida nos últimos dias, mas algum furacão tenha te visitado… O que você precisa
aprender com ele? O que você precisa tirar de aprendizagens da escola do furacão? Que
a passagem de um “Irma” em nossas vidas produzas mais experiências abençoadoras do
que qualquer possibilidade de destruição. Boa aula!

Pr. Heleénder e Anna Eliza

Faça a sua Reserva