Ser feliz (Parte 8)

Mateus 5:10 e 11: “Bem-aventurados os que são perseguidos por causa da justiça, porque deles é o reino dos céus. Bem-aventurados sois vós, quando vos injuriarem e perseguirem e, mentindo, disserem todo mal contra vós por minha causa.”

 

Felizes os perseguidos por causa da justiça. Jesus continua sua explanação desafiadora acerca da felicidade apresentando mais um paradoxo. Afinal, é difícil para nós entender como uma pessoa perseguida pode ser feliz. Aqui, nossa dificuldade em compreender a proposta de Jesus reside no fato de que enxergamos primeiro a perseguição para, só depois, enxergar a causa da perseguição.

Na verdade, a felicidade não se encontra no ser perseguido em si, mas no que causa a perseguição: a nossa justiça. Em outras palavras, a perseguição é um termômetro que atesta a qualidade do nosso comprometimento com Deus e com o projeto do Seu Reino. Tanto é que Jesus diz que os perseguidos são aqueles a quem pertence o Reino de Deus, ou seja, aqueles que estão plenamente engajados no projeto de vida que ele introduz.

Uma vez que o Reino de Deus se coloca como um projeto antagônico ao projeto deste mundo, é de se esperar que quem está diretamente engajado e envolvido com o mesmo sofra perseguição. O projeto de Jesus enfrentava perseguições porque seus pilares do amor, da igualdade, da fraternidade e da comunidade causavam perturbação no ameaçador Império Romano. E não se espante! Por mais que o Projeto do Reino seja lindo, ele continua sendo altamente perturbador.

Ainda hoje, o projeto de Jesus é escandaloso. Afinal, não é fácil ser altruísta, humilde, perdoador, doador, pacificador, manso e lutar pela justiça. Não é nada fácil assumir esses valores e lutar por eles. Não é fácil vestir a camisa do Reino e viver por ela. O discipulado de Jesus exige muito de nós porque é trilhado no meio de dores. O discipulado de Jesus se faz em meio à crucificação da carne, à incompreensão das pessoas, às pressões sociais, aos abandonos e desprezos. Mesmo assim, Ele nos garante: Seremos felizes! Nossa recompensa será grande!

Aqui está um grande ensinamento: a felicidade segundo Jesus não é uma coisa que está fora de nós e que nós acessamos. A felicidade é algo que se desenvolve dentro de nós e nós ofertamos.

Como você tem encarado a felicidade? Como algo circunstancial ou como algo pessoal? Como algo que está fora de você ou algo que está dentro de você?

Felicidade para Jesus não é substantivo. É verbo. É ação. É fazer. É ser. Felicidade se faz com humildade, sensibilidade, mansidão, justiça, misericórdia e paz. Gente assim é perseguida. Gente assim é maltratada. Mesmo assim, é feliz! Porque a maior obra que o evangelho faz em nós é nos fazer pessoas felizes desse jeito: pessoas das quais o mundo não é digno.

Que sua vida seja plena da verdadeira felicidade!

 

Pr. Heleénder e Anna Eliza

Faça a sua Reserva