Ser feliz (Parte 4)

Mateus 5:6: “Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça porque eles serão fartos.”

 

Os felizes são famintos do verdadeiro alimento! Jesus continua sua explanação sobre a felicidade utilizando como metáfora as figuras da fome e da sede, sensações vitais para o ser humano por funcionarem como sinais de alerta para o nosso organismo. A fome e a sede se relacionam com a continuidade da vida, pois, sem comer e beber, morremos. Para Jesus, a figura da sede e da fome são perfeitas para ilustrar aquilo que satisfaz a vida humana para além do fisiológico. Os felizes são aqueles que entenderam que a Justiça é o elemento mais necessário para saciar a humanidade.

Ao longo da história, muitos filósofos tentaram definir um ideal de justiça. Para Sócrates, essa consistia em superar toda atitude egoísta; para Platão, estaria na harmonização dos vários grupos sociais em função de objetivos comunitários; para Hobbes, a justiça só existira se houvesse obediência a um pacto social. Mas, para Jesus, a Justiça está em algo ainda maior e mais nobre: o amor! Para Jesus, a justiça é o Projeto do Reino de Deus, um reino de amor, onde todos nos enxergamos como uma família e pertencentes um ao outro. Por ser a justiça o alimento mais essencial da vida para Jesus, ele afirma: “Não andeis, pois, inquietos, dizendo: Que comeremos, ou que beberemos, ou com que nos vestiremos? Buscai, pois, em primeiro lugar, o reino de Deus e a sua justiça, e todas as demais coisas vos serão acrescentadas.” (Mt 6.31 e 33)

Para Jesus, a vinda do Reino de Deus inclui a saciedade de justiça que temos em vários níveis e que só Ele pode saciar: inclui a justificação dos nossos pecados, que nos possibilita a reaproximação de Deus; inclui a justiça de caráter, que nos habilita a aprendermos a ser como Ele é; e inclui a justiça social, que refere-se à busca pela libertação da opressão, das desigualdades em vários espaços sociais e na conquista da dignidade da qual deve desfrutar todo ser humano.

Todos nós ansiamos pela justiça, ao menos em um desses níveis, não é mesmo? Afinal de contas, porque Jesus nos justifica e podemos ter livre acesso ao Pai, somos felizes! Porque a vida em Jesus nos aponta para a nobreza de caráter, para a conduta amorosa e respeitosa, para uma postura de cidadão do céu, somos felizes! E, porque, em Jesus, desejamos que todas as pessoas, sem distinção, tenham acesso às condições mínimas necessárias para uma vida com dignidade, somos felizes! E, porque os que estão no Reino também buscam justiça social, vamos tornando o mundo mais feliz…

Utopia? Talvez… Até porque quem sente fome e sede só sente porque ainda não receberam o alimento tão necessário. Mesmo assim, diz Jesus, somos felizes! Pois é melhor sentir fome da coisa certa do que viver a ilusão de ser saciado com o alimento errado. Em Jesus, é melhor morrer de fome por justiça do que viver farto de outras coisas só para si mesmo. Foi isso que Ele fez e é isso que Ele nos ensina a fazer.  Você é feliz?

Pr. Heleénder e Anna Eliza

Faça a sua Reserva